O que o Fósforo (P) faz pela sua lavoura?

Como estamos discutindo nos últimos posts (aqui e aqui), o fertilizante mais aplicado no país é o NPK (Nitrogênio, Fósforo e Potássio), mas você sabe por que adicionar Fósforo (P) a sua lavoura? Você sabe quanto de Fósforo está disponível no solo? Como ele é absorvido? No que ele auxilia a planta? E o mais importante: Você sabe identificar através das análises químicas do solo quanto Fósforo (P) aplicar? Começamos hoje uma série de pequenos artigos que irão esclarecer esses e outros pontos importantes sobre o Fósforo (P).

O tema de hoje é a importância do Fósforo na lavoura e para começar é importante saber que ele participa de vários processos metabólicos das plantas, sendo os principais:

  • Transferência de energia
  • Síntese de ácidos nucléicos
  • Glicose
  • Respiração e fotossíntese
  • Síntese e estabilidade de membrana
  • Ativação e desativação de enzimas
  • Fixação de N2

O único “problema” é que mesmo quando o Fósforo é aplicado sob a forma de fertilizantes, a maior parte dele é adsorvida em colóides do solo, tornando-se com o tempo não-disponíveis as plantas.

É importante saber que a deficiência de Fósforo (P) não se apresenta de forma tão marcante como outros macronutrientes, mas ocorre uma redução acentuada no crescimento da planta, outro sintoma a ser observado é a coloração verde-escura ou avermelhadas nas folhas mais velhas. Também é comum identificar atraso no florescimento, número reduzido de frutos e sementes, podendo inclusive reduzir os teores de amido, proteína solúvel, sacarose e glicose em plantas como o milho e a cana de açúcar.

Vale lembrar que o Fósforo (P) utilizado para a fabricação de fertilizantes é um recurso natural não renovável. Então tenha ainda mais cuidado e consciência ao aplica-lo. Compre e aplique apenas o necessário!

No próximo artigo, iremos tratar da importância da análise correta do Fósforo nas análises químicas do solo, principalmente através da análise de P-rem (Fósforo Remanescente).