Semeadura de precisão será um dos projetos financiados pela Fundação Bill e Melinda Gates

O Engenheiro Agrônomo Mateus Marrafon, de 29 anos, de Iracemápolis (SP) será um dos 3 brasileiros com projetos financiados pela Fundação Bill e Melinda Gates.

O projeto chamado da “fita-semente” que foi patenteado como “Processo de semeadura de precisão” busca auxiliar pequenos produtores rurais, principalmente de agricultura familiar, que não dispõe de recursos financeiros para compra de equipamentos que permitam a colocação das sementes com o espaçamento ideal entre elas.

A fita-semente constituí-se de uma fita de celulose biodegradável, com micronutrientes, onde as sementes são dispostas com o intervalo correto para o plantio, facilitando assim a semeadura e garantindo um melhor aproveitamento das sementes.

Segundo Marrafon a “fita também consegue reter mais umidade em contato com a semente, promovendo uma proteção física, haja vista o maior número de sementes emergidas sob um período de alta temperatura durante experimento”, os testes que ele começou realizando na área da família deverá agora se expandir”.

A Fundação Bill e Melinda Gates irá investir US$ 100 mil no projeto e Marrafon espera com o recurso desenvolver uma máquina que possa preparar as fitas e testar seu método de semeadura também no continente africano, foram 5 anos de pesquisa e procura de recursos, que só agora poderá se expandir e ganhar escala comercial em breve.

Como a fita semente leva umidade, semente e micronutrientes necessários no processo de germinação e crescimento das plantas o engenheiro agrônomo espera que a agricultura familiar e de pequeno porte tenham um acrescimento de até 50% de produtividade com o seu método de semeadura.

Um projeto sem dúvida importantíssimo para a agricultura familiar!