Londrina (43) 3338.5738
Toledo (45) 3378.1202
Passo Fundo (54) 3315.7604
Algodao 17

Vai começar a safra de Algodão. Previsão é de aumento na área plantada!

O Vazio sanitário do Algodão já acabou em algumas regiões, e em outras termina na próxima semana, e a expectativa é de mais uma grande produção. Arlindo Moura, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Algodão (Abrapa) destaca que a safra 2016/17 propiciou a recuperação financeira de produtores da Bahia, Piaui e Tocantins com uma alta produtividade registrada, por volta dos 1745kg por hectare, embora a área tenha sido 3% menor. A produção foi 17% maior, apoiada em um clima favorável para o desenvolvimento das lavouras.

Em termos de rentabilidade, Moura lembra que o ano contou com dois momentos de rally de preço para a commodity: um entre março e abril, com preços girando por volta de 76 a 79 cents/lb e outro nos últimos dez dias, entre 72 cents/lb e 75 cents/lb, estes que foram aproveitados por grande parte dos produtores para realizar novas vendas. Com isso, cerca de 50% da nova safra já está vendida, quando a média para o período é de 30%.

Os custos de produção aumentaram para os fertilizantes, que subiram de forma expressiva, bem como para o diesel, que teve um aumento de 15% durante o ano. Contudo, os demais insumos mantiveram seus preços, de forma que a alta total deve ficar por volta dos 2% a 3%.

O mundo demanda o produto brasileiro e já foi recomendado por empresários asiáticos que o Brasil aumentasse sua produção. As perspectivas da Abrapa dão conta de que este crescimento deve ser de 15% ao ano para que, daqui a cinco anos, a área dobre.

Atualmente, o Brasil responde pela segunda maior produtividade do mundo – perdendo apenas para a Austrália, que conta com 100% de sua produção irrigada. O desafio é se tornar cada vez mais competitivo para concorrer diretamente no mercado internacional e melhorar as pesquisas para que não haja perdas em função do excesso na colheita. Além disso, também é estudada uma diminuição do ciclo para fugir da chuva na colheita.

Vale destacar que um planejamento eficiente de monitoramento da nutrição vegetal através da análise foliar pode garantir uma melhor rentabilidade da cultura. Na medida que uma análise foliar como a da Laborsolo, com DRIS, propicia o uso racional dos fertilizantes (maior custo de produção) o produtor pode garantir uma economia nos insumos e um melhor desempenho da planta, aumentando sua produtividade, esclarece o Dr. José Carlos Vieira de Almeida.

Laborsolo Laboratórios

A Laborsolo Laboratórios atua há 30 anos com Análises Agronômicas. Nosso portfólio é amplo (solo, folha, alimento animal, água, fertilizantes e corretivos) e estamos focado no desenvolvimento de tecnologias que auxiliem no dia a dia do Agronegócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *