Londrina (43) 3338.5738
Toledo (45) 3378.1202
Passo Fundo (54) 3315.7604
Mutuca2

Fazenda Mutuca busca a Alta Performance e é destaque!

Série de Artigos: Agricultura de Alta Performance (A2P)

Durante o Show Rural Coopavel foi feita a distribuição da 1ª Edição da Revista Ric Rural, uma parceria do Grupo RIC Paraná com o Prosolo – Programa Integrado de Conservação de Solo e Água do Paraná, do Governo do Estado. Esta primeira edição teve como tema principal a importância da qualidade do solo no agronegócio e também está disponível online clicando neste link.

Um dos destaques da edição foi o trabalho da Fazenda Mutuca, cliente da Laborsolo onde foi implementado o A2P (Agricultura de Alta Performance). Leia abaixo a reportagem!

Fazenda Mutuca quer fazer mais com o mesmo

Especializa na produção de sementes de soja e trigo, a Fazenda Mutuca, em Arapoti (PR), desenvolve agricultura de alta performance e produtividade em soja, milho e trigo, por meio de uma gestão moderna e integrada, conforma explica o engenheiro agrônomo Fausto Tadeu Franchin. São 2,5 mil hectares de áreas cultivadas e mais 2,3 mil de reflorestamento. Em relação ao espaço agrícola, 67% são destinados à soja e 33% ao milho durante os meses de verão; o trigo ocupa praticamente toda a superfície no inverno. Produzir boas sementes vai depender da qualidade do solo. Na Mutuca, a superfície cultivada merece especial cuidado e atenção.

De acordo com Franchin, é feita correção em perfil mais profundo (60cm), utilizando calcário dolomítico e calcítico, gesso e resíduos de aviário. Por ano, cerca de um terço das terras são corrigidas com o emprego de drone para mapeamento. O plantio de outono de milheto produz de 5 a 6 toneladas de palha por hectare, que vai fazer a cobertura de solo (evitando a erosão e a compactação e controlando ervas daninhas), a reciclagem de nutrientes e a diminuição de problemas radiculares.

RETORNO – “Nosso desafio continuo é verticalizar, fazer mais com a mesma área”, dia Franchin. “Quanto mais se investe, mais retorno tem”, frisa, salientando que usar uma semente sem qualidade acaba saindo muito caro para o produtor. “O maior custo é o uso da terra e das máquinas”, afirma. Segundo ele, o uso de sementes de boa qualidade “vai gerar plantas de alto desempenho”, ressaltando: “sementes de alto desempenho são sementes vigorosas, que vão resultar em plantas também vigorosas, trazendo mais segurança ao produtor”. “Quanto mais vigor, maior será o número de vagens”, mencionando que isto pode trazer um acréscimo de 35% na produtividade. Sobre os caminhos para aumentar a produtividade, ele citou, entre outros itens, o emprego da melhor genética possível e o maior número de plantas produtivas por área. 4,8 mil hectares é a área total da propriedade localizada em Arapoti.

Laborsolo Laboratórios

A Laborsolo Laboratórios atua a quase 30 anos com Análises Agronômicas. Nosso portfólio é amplo (solo, folha, alimento animal, água, fertilizantes e corretivos) e estamos focado no desenvolvimento de tecnologias que auxiliem no dia a dia do Agronegócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *