Londrina (43) 3338.5738
Toledo (45) 3378.1202
Passo Fundo (54) 3315.7604
Soja Milho Feijao

No Paraná soja e milho vão bem, feijão preocupa

A Soja e o Milho vão bem

A estiagem no começo da safra atrasou o plantio da soja mas o desenvolvimento, segundo o DERAL está muito bom. 88% da área plantada está em boas condições e 12% em condições médias. Quanto ao desenvolvimento, 37% está em floração, 49% em frutificação e 1% já atingiu a maturação.

Na região de Toledo, onde o plantio normalmente é finalizado primeiro o atraso médio é de 20 dias mas as lavouras estão em excelente qualidade, 100% já se encontram no estágio de frutificação e 95% estão classificadas como ‘boa’ pelo DERAL.

O milho 1ª safra tem 3% em maturação e 46% na fase de frutificação, com 86% em boas condições, acompanhando a soja. A região de Londrina, Maringa, Toledo e Umuarama já tem 100% em fase de frutificação e estão todas em boas condições.

A expectativa agora é pelo plantio do milho de 2ª safra que, segundo o DERAL, já começou na região de Francisco Beltrão, Guarapuava e União da Vitoria.

Ao contrário do feijão

Com 45% da área plantada em fase de maturação o feijão, que também sofreu com a seca na fase de plantio, agora sofre com as chuvas. Apenas 54% estão em boas condições.

Os produtores torcem por uma melhora do tempo a partir de amanhã. Caso contrário, o resultado deve continuar influenciando em lavouras perdidas e com qualidade afetada por intempéries como feijão brotado ou embolorado, bem como queda de produtividade.

O Deral previa uma área total de 199 mil hectares, resultando em uma colheita de 375 mil toneladas. Este número, 2% maior do que no ano passado, deverá sofrer alterações. As regiões de Ponta Grossa e de Guarapuava, que são grandes produtoras, são as que mais enfrentam problemas.

Laborsolo Laboratórios

A Laborsolo Laboratórios atua há 30 anos com Análises Agronômicas. Nosso portfólio é amplo (solo, folha, alimento animal, água, fertilizantes e corretivos) e estamos focado no desenvolvimento de tecnologias que auxiliem no dia a dia do Agronegócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *