Londrina (43) 3338.5738
Toledo (45) 3378.1202
Passo Fundo (54) 3315.7604
Pragas Soja

Novas pragas podem ameaçar a soja brasileira

Há dois anos a soja brasileira foi atacada pela Helicoverpa armigera, que devastou parte dos campos em várias regiões do país e atacou também outras culturas.

A grande extensão territorial brasileira e a intensa atividade comercial é uma ponte par aos invasores atacarem. “Existem vários casos de entrada de uma espécie, que se estabelece em plantas espontâneas e, ao longo do tempo, ela se adapta às condições locais e evolui. O bicudo-do-algodoeiro, que foi detectado pela primeira vez no Brasil em Campinas, em plantas nos arredores do aeroporto. Mais tarde, a praga inviabilizou a cultura do algodão em algumas regiões do país”, lembra o entomologista da Embrapa-Soja, Samuel Roggia.

Outro caso importante de praga “importada” é a mosca branca. O inseto, que suga a seiva e enfraquece ou até mata a planta, foi identificado pela primeira vez nos anos 1990. De lá para cá, vem se adaptando e atacando com maior intensidade diversas culturas como o feijão e a soja. Em 2012 foi identificado um novo biótico da mosca, da raça Q, que entrou pelo Rio Grande do Sul.

As mudanças climáticas, mais especificamente no padrão dos ventos e das temperaturas, também colaboram com a infestação e evolução das pragas. O clima tropical do Brasil é um prato cheio, pois “não cabem exceções. Temos clima para todos os tipos de pragas”, ressalta Roggia. “A gente planta praticamente o ano inteiro, temos culturas que o plantio inicia em outubro, depois vem safrinha, depois os plantios irrigados e tudo plantas hospedeiras para pragas como a mosca branca”, acrescenta Eliane Dias Quintela.

A Embrapa listou 19 ameaças potenciais que atacam a soja ao redor do mundo e que podem atacar também a cultura no país:

>

Nome Científico Região encontrada Parte da Planta que ataca
Diabrotica virgifera virgifera América do Norte, América Central, Europa e Rússia As larvas atacam raízes e os insetos consomem as folhas
Diabrotica barberi Estados Unidos e Canadá As larvas atacam raízes e os insetos consomem as folhas
Diabrotica undecimpunctata howardi América do Norte, parte da América Central e Filipinas As larvas atacam raízes e os insetos consomem as folhas
Diabrotica balteata Estados Unidos, América Central, Venezuela e Colômbia As larvas atacam raízes e os insetos consomem as folhas
Melanagromyza sojae Espanha, África do Sul, Líbano, Egito, Emirados Árabes, Ásia e Oceania Broca da haste
Melanagromyza dolichostigma China, Japão, Tailandia, Indonésia, Timor Leste Broca da haste
Ophiomyia phaseoli Estados Unidos, África, Ásia, Oceania e França Broca da Haste
Ophiomyia spencerella Áfricaa Broca da Haste
Ophiomyia centrosematis Leste da África, Ásia e Oceania Broca da Haste
Obereopsis Brevis Índia e Myanmar Broca da Haste
Dectes texanus texanus Estados Unidos Broca da Haste
Cerotoma trifurcata Estados Unidos Consomem as folhas
Epilachna varivestis Estados Unidos, Canadá, Equador e toda América Central Consomem as folhas
Aproaerema modicella Ásia ocidental e Leste da África Broca das folhas
Aphis glycines Canadá, Estados Unidos, Rússia, Parte da Ásia e Oceania Sugador nas folhas
Asphondylia yushimai Japão Produz galha nas vagens
Riptortus clavatus Japão, Coréia e Taiwan Sugador de vagens e grãos
Riptortus dentipes Gana e Leste da África Sugador de vagens e grãos
Riptortus serripes Austrália Sugador de vagens e grãos

Com informações da Embrapa/Revista Globo Rural.

Laborsolo Laboratórios

A Laborsolo Laboratórios atua a quase 30 anos com Análises Agronômicas. Nosso portfólio é amplo (solo, folha, alimento animal, água, fertilizantes e corretivos) e estamos focado no desenvolvimento de tecnologias que auxiliem no dia a dia do Agronegócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *