Londrina (43) 3338.5738
Toledo (45) 3378.1202
Passo Fundo (54) 3315.7604
Milho Feijao

Sem a opção de soja para segunda safra produtor paranaense deve optar entre milho e feijão

O Paraná vai aumentar o plantio de milho e feijão no primeiro semestre de 2017, na segunda safra de grãos. Pesquisa da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento, divulgada na última quinta-feira (22), revela que os produtores vão apostar nessas duas culturas, em decorrência do aumento dos preços durante todo o ano de 2016. A estimativa é de produção recorde para o milho segunda safra (safrinha), que pode atingir 13,5 milhões de toneladas, se as condições de clima forem favoráveis.

No Paraná, além dos preços vantajosos para o feijão o ano inteiro, a cultura ganhou área também em decorrência do vazio sanitário que em 2017 proíbe, pela primeira vez, o plantio de soja da segunda safra a partir de janeiro. Boa parte da área antes ocupada pela cultura, especialmente na região Sudoeste do Estado, deverá migrar para o feijão.

Além da intenção de plantio da segunda safra de grãos, a pesquisa, feita pelo Departamento de Economia Rural, também mostra a expectativa de produção da safra de verão 2016/2017 (primeira safra), que está em campo, com bom desenvolvimento vegetativo. O volume previsto pode alcançar um total de 23,2 milhões de toneladas, somando todos os produtos – 15% acima do mesmo período do ano passado.

A soja está alavancando a projeção da primeira safra de grãos, com expectativa de safra recorde de 18,3 milhões de toneladas, volume 11% maior que o colhido na safra anterior (2015/2016),que foi 16,5 milhões de toneladas.

“O clima é de otimismo com o novo ano, que promete uma safra recorde de verão e boa safra de inverno”, disse o secretário da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara.

No ano passado, o milho da segunda safra ocupava uma área de 2,2 milhões de hectares e este ano ocupa 2,3 milhões de hectares. A previsão de produção para a segunda safra de milho é 32% maior, passando de 10 milhões de toneladas colhidas na safra anterior para 13,5 milhões de toneladas para a segunda safra, que será plantada em 2017.

O preço do milho, apesar de estar menor do que alguns meses atrás, cerca de R$ 29,00 a saca, continua acima dos custos de produção. No ano passado, nessa mesma época o milho era vendido por R$ 24,00 a saca. O maior preço atingido foi em maio deste ano, a R$ 40,00.

Já foi iniciada a colheita do feijão da primeira safra (16/17) no Paraná, devendo se intensificar nos meses de janeiro e fevereiro. Este ano, a área plantada com feijão da primeira safra foi 7% maior, passando de 184.980 hectares no ano passado, para 197.106 hectares neste ano.

Os preços elevados do feijão estão levando o produtor a apostar na cultura também na segunda safra, que este ano terá aumento de 11% na área (de 203.937 hectares no mesmo período do ano passado para 226.378 hectares este ano). A expectativa de produção cresce 40% – de 297.248 toneladas neste ano para 417.511 toneladas que poderão ser colhidas no primeiro semestre do ano que vem.

Laborsolo Laboratórios

A Laborsolo Laboratórios atua a quase 30 anos com Análises Agronômicas. Nosso portfólio é amplo (solo, folha, alimento animal, água, fertilizantes e corretivos) e estamos focado no desenvolvimento de tecnologias que auxiliem no dia a dia do Agronegócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *