Universidade

Como levar o conhecimento das universidades para o campo?

Notícia recente do jornal Gazeta do Povo traz novamente a tona a discussão sobre a relação entre universidades e produtores rurais. Em evento realizado em Curitiba o doutor Steve Phillips, do International Plant Nutrition Institute (INPI), dos Estados Unidos, que trouxe na bagagem um alerta: muito do que é ensinado nas universidades com foco agronômico não é utilizado ou não chega ao campo.

Em palestra sobre o tema, o especialista citou um exemplo concreto de um consultor independente que ‘adotou a profissão’ depois de ser professor nos Estados Unidos: “Ele viu que as coisas não eram iguais no campo. Precisamos ter essa preocupação de ligar a sala de aula à produção agrícola”.

A esperança de uma melhor conexão entre teoria e prática está depositada justamente nesses consultores. “Muitos creem que basta entregar um mapa colorido, sem análise. O problema é que isso gera confusão no produtor, que só vai entender se tiver uma consultoria”, destaca o norte-americano. Outra questão citada é a geracional, que pode facilitar (ou dificultar) a compreensão das tecnologias e inovações no campo, por meio de aplicativos, ferramentas ou plataformas.

“Dependendo da região, do nível educacional e da familiaridade com a tecnologia em geral, a agricultura digital vai contribuir muito. Vemos que em algumas regiões a idade dos produtores rurais está até mesmo decrescendo, com pessoas jovens. A adoção nessas comunidades deve acontecer muito rápido”, destaca Steve Phillips em entrevista à Gazeta do Povo.

As preocupações expostas por Steve Phillips são compartilhadas pela Laborsolo, a estreita relação da diretoria da empresa com a academia ao longo de toda a sua existência fez com que a empresa percebesse esse grande vazio entre as universidades e o campo e desenvolvesse uma série de ações e soluções para unir as duas pontas.

Laudos visuais e autoexplicativos: Como disse o Dr. Phillips, um mapa colorido não diz muita coisa ao produtor rural, por isso os laudos da Laborsolo são visuais e autoexplicativos. O produtor, mesmo sem o conhecimento científico, pode entender, por exemplo, como está o balanço nutricional das plantas, consegue visualizar a composição do solo (nas análise físicas).

Softwares de recomendação: Além de proporcionar laudos analíticos e visuais de fácil compreensão, a Laborsolo desenvolveu (e continua desenvolvendo) soluções que facilitem o dia a dia de produtores e agrônomos com sistemas que auxiliam no processo de recomendações de manejo. O Sugres realiza os cálculos de restituição de cálcio e potássio a partir da análise de solo, enquanto o Sugfol realiza os cálculos para suplementação nutricional baseada nas análises foliares. Isso permite que o conhecimento científico baseado em diagnósticos seja aplicado no dia a dia, reduzindo o empirismo e o uso de ‘tabelas’ genéricas.

A2P: Outro passo importante dado pela Laborsolo no sentido de levar o que se estuda nas universidades para o campo foi o desenvolvimento do A2P, um sistema completo de manejo de fertilidade do solo e nutrição de plantas, respaldado por anos de pesquisa científica, conhecimento técnico, agronômico e estatístico. Além de reunir um conjunto de sistemas, o A2P leva para o campo o conhecimento na forma de consultoria, através dos seus parceiros, que são fundamentais para o desenvolvimento de um trabalho que visa a alta performance.

Parceiros: Outro ponto chave na ligação entre o conhecimento científico e produtores rurais. A Laborsolo se orgulha de suas parcerias, são empresas de consultoria, assistência técnica, revendas e cooperativas, que buscam oferecer serviço de ponta a seus clientes através de nossas análises, utilização de nossos sistemas e são fundamentais para a difusão de tecnologias inovadoras como o A2P.

PHP Mix: parte integrante e fundamental do A2P, mas que também pode ser utilizado por outros métodos de manejo, o PHP Mix também é um produtor inovador, que leva ao produtor os avanços tecnológicos que são desenvolvimentos nas pesquisas científicas. Um produto formulado a partir de diversas matérias primas, altamente personalizado de acordo com as necessidades do solo e da propriedade tanto no que diz respeito a custo quanto à efeito residual.

Cursos de atualização: Desenvolvido por Doutores que são autoridades em fertilidade dos solo e nutrição de plantas, os cursos de atualização da Laborsolo também são marcantes. Com mais de 2 mil ex-alunos, o curso permitiu (e permite) a qualificação e atualização profissional de engenheiros agrônomos que atuam diretamente junto aos produtores. Muitos profissionais que atuam como consultores independentes, consultores em revendas de insumos ou ainda dentro das cooperativas, que são grandes parceiras da Laborsolo, levando o curso in company para a qualificação de seus profissionais, tema que inclusive é citado pelo Dr. Phillips:

“Vejo mais similaridades do que diferenças entre o Brasil e os Estados Unidos [quanto à agricultura de precisão], mas o Brasil pode ter orgulho de suas cooperativas. Elas estão muito a frente na busca por tecnologias e novas plataformas. São pessoas que não estão à serviço por grandes companhias e que colocam a ‘bota na terra’”.

Laborsolo Laboratórios

A Laborsolo Laboratórios atua há 30 anos com Análises Agronômicas. Nosso portfólio é amplo (solo, folha, alimento animal, água, fertilizantes e corretivos) e estamos focado no desenvolvimento de tecnologias que auxiliem no dia a dia do Agronegócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *